quinta-feira, 27 de abril de 2017

Bancada maranhense vai votar unida contra o trabalhador no Senado

Os três senadores do Maranhão já fecharam posição e vão votar a favor da reforma trabalhista, que acaba com vários direitos garantidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Roberto Rocha (PSB), Edison Lobão (PMDB) e João Alberto (PMDB) são favoráveis ao projeto que já foi aprovado, nessa quarta-feira (26), na Câmara. Agora vai ser a vez de o Senado avaliar a proposta.

O projeto tira direitos que antes eram garantidos pela CLT e privilegia acordos entre patrões e empregados em detrimento da lei. Isso significa que os patrões vão ter mais facilidade para impor perdas aos empregados, como cortes de salários.

Se o Senado aprovar a reforma, ela vai entrar em prática logo em seguida, após sanção do presidente Michel Temer.

A posição dos senadores do Maranhão a favor do projeto demonstra forte alinhamento com Temer, que tem usado as reformas para garantir o apoio do empresariado e se manter no poder até 2018.

O que fizeram os senadores contra o corte do Fundeb no Maranhão?

A união dos deputados federais do Maranhão e da Federação dos Municípios do Estado do Estado Maranhão (Famem) conseguiu reverter a decisão do corte imediato nos recursos do Fundeb, que somavam R$ 244 milhões. Integrantes da Bancada Federal, os senadores do estado não foram vistos e sequer se pronunciaram sobre o tema.

O corte milionário do Fundeb do Maranhão referentes a repasses adiantados em dezembro de 2016 ao estado e aos municípios foi publicada no Diário Oficial da União no último dia 20. Rapidamente, parlamentares de diversas frentes políticas e prefeitos se uniram e conseguiram com que o Governo Federal parcelasse a dívida do Fundo.

Enquanto os deputados federais se uniram, os senadores seguiam cada um com seu interesse individual. Edson Lobão agora só tem tempo para tentar se livrar a todo custo das dezenas de denúncias contra ele no âmbito da Operação Lava Jato. Ele é um dos recordistas de citações.

João Alberto segue no seu propósito obstinado de tomar a prefeitura de Bacabal e colocar o deputado Roberto Costa no comando da cidade, com o objetivo de facilitar o seu próprio projeto eleitoral para 2018 e o do filho, o deputado federal João Marcelo. Já Roberto Rocha abandonou Brasília e mendiga, de cidade em cidade do Maranhão, apoio dos prefeitos para uma candidatura estadual.

E assim seguem os senadores do Maranhão. Pensando apenas em projeto pessoal. Interesses do estado nunca foram o forte dos representantes do Senado mesmo. E a pergunta que os maranhenses mais se fazem continua sem resposta: pra que serve um senador?

Clodoaldo Corrêa/blog Marrapá

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo, é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor do blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.