quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Depois de 7 anos, Justiça condena Hospital Santa Lúcia por morte de filho de Flávio Dino

Hospital informa que vai recorrer da decisão



O Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) condenou o Hospital Santa Lúcia a indenizar o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA), e a ex-esposa dele, Deane Fonseca, pela morte do filho do casal, Marcelo Dino, em fevereiro de 2012. A Justiça determinou uma multa de R$ 90 mil para cada um dos pais, com correção monetária e juros de 1% ao mês a partir da data do óbito. A decisão de primeira instância ainda cabe recurso. Em nota, o Santa Lúcia diz que vai recorrer.

A informação foi confirmada pelo próprio governador, no começo da noite de hoje (07), em uma rede social.

“Depois de quase 7 anos de dor e luta, hoje o Tribunal de Justiça do DF reconheceu a responsabilidade do hospital Santa Lúcia, de Brasília, pela morte do meu amado filho Marcelo Dino. Nada resolve, nada cura. Mas é nossa contribuição ao combate à impunidade” disse o governador.

Flávio Dino lembrou que o filho era uma criança amável, atencioso e apaixonado pelo Flamengo, time do coração. “Marcelo Dino tinha 13 anos. Amava sua família, seus amigos, sua escola, o flamengo, sua guitarra, seu cachorro. Teria hoje 20 anos. Infelizmente, erros no hospital Santa Lúcia, em 2012, impediram que sua vida aqui continuasse. Mas creio que ele vive com Deus”. Finalizou.

Marcelo Dino morreu aos 13 anos, na manhã de 14 de fevereiro de 2012, após uma sequência de crises asmáticas. No dia anterior, ele havia sido levado ao Hospital Santa Lúcia pela mãe, professora da Universidade de Brasília (UnB), para tratar da primeira crise. Em menos de 24 horas, no entanto, o quadro se agravou e ele não resistiu. 

(Com blog do Kiel Martins e O Imparcial)

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo, é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor do blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.