quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Polícia Civil intercepta plano de milicianos para executar o deputado Marcelo Freixo


Um relatório confidencial da Polícia Civil cita um policial militar e dois comerciantes como suspeitos de envolvimento em um novo plano para executar o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL).

Os três homens são ligados a um grupo de milicianos da Zona Oeste do Rio, que é investigado pela Divisão de Homicídios pelo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

De acordo com o documento, o assassinato de Freixo aconteceria durante uma agenda programada pelo parlamentar para o próximo sábado em Campo Grande.

Ao saber do ataque, Freixo cancelou o encontro com militares e professores da rede particular de ensino, no sindicato da categoria, marcado para sábado.

O documento, que foi obtido pelo O GLOBO, aponta que os três nomes citados já eram investigados por um suposto vínculo em grupos paramilitares da Zona Oeste há pelo menos cinco anos. Também aparecem no controle de operações ilegais da máfia dos caça-níqueis e do jogo do bicho.

Do Metro1

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo, é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor do blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.