domingo, 17 de fevereiro de 2019

Deu no JN: candidata laranja usada por Cléber Verde no MA é vendedora de rosas e bombons nas festas de São Luís


Quem frequenta as noites nas casas de eventos de São Luís quase sempre é abordado por uma gentil vendedora de rosas vermelhas e bombos caseiros de chocolate recheados. Trata-se de Marisa Regina Duarte Teixeira, ou simplesmente Marisa Rosas, ex-candidata a deputada estadual pelo PRB.

Rosas obteve apenas 161 votos na eleição de 2018, mas de acordo com reportagem do Jornal Nacional desta sexta-feira (16), a morada da cidade de São José de Ribamar, gastou R$ 600 mil reais na campanha, conforme prestação de contas de seu partido, presidido do Maranhão pelo deputado federal reeleito Cléber Verde.

Marisa integra um grupo de várias candidaturas laranjas como as que levaram à crise do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro (assista a reportagem completa AQUI). A crise política tem como pivô o ministro Gustavo Bebianno (Secretaria Geral), que presidiu o partido durante a campanha eleitoral do ano passado.

Três gráficas receberam apenas da candidatura de Marisa Rosas R$ 540 mil. Uma das gráficas fica em Tuntum, pertence a um filiado do partido e fez material gráfico para a campanha de Cléber Verde.

Marisa Rosas mandou fazer 9 milhões de “santinhos” e mandou fazer 1,25 mil bottons, de acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral.

– Outro lado

O partido e o deputado – A direção nacional do PRB disse que determinou que os candidatos do partido deveriam assinar um termo demonstrando os gastos de campanha e se isentou de qualquer possibilidade de má gestão do dinheiro de campanha. O deputado Cléber Verde disse ao JN que os recursos foram usados única e exclusivamente nas campanhas das candidatas. Ele alegou que a gráfica foi escolhida pela qualidade e que a candidata mostrada na reportagem é militante do partido.

O TRE-MA – O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) disse que as contas da candidata estão sendo analisadas.

Marisa Rosas – Indagada se é muito material para pouca gente, ela respondeu: “Pode se dizer que sim, se você está mensurando a quantidade do Maranhão, pode até se dizer. Mas, na hora, a gente não trabalha somando bottons, a mesma coisa do ‘santinho’”, disse. Marisa Rosas disse que confiou nos colegas de partido para contratar as três gráficas que receberam, só dela, R$ 540 mil. Ela disse que confiou na gráfica e no partido. “Não só na gráfica, porque a gráfica mandava entregar no diretório, na central do partido”, afirmou.

Blog Domingos Costa, com informações do g1.globo.com

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo, é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor do blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.