sábado, 15 de fevereiro de 2020

Bergoglio e Lula: fé, crime e corrupção unidos


A reunião entre Lula e o Papa católico, nestes dias, é um deprimente marco na história do catolicismo.

A ação contínua do chefe enviesado da igreja católica ao receber tiranos, assassinos e ladrões - sempre com foco ideológico - o coloca entre os piores papas da história.

A argumentação pífia de que a misericórdia e o perdão fazem parte da doutrina do cristianismo para justificar esse comportamento não tem cabimento algum.

Compaixão e conivência com o crime - que é o caso - não são a mesma coisa.

Bergoglio não é o único papa com caráter duvidoso da história, pelo contrário.

Alguns de seus coleguinhas:

Alexandre VI (1492-1503):

Da família Bórgia, comprou o título subornando cardeais.
Desviou grana para a família, vendeu posições eclesiásticas e mandou matar ‘hereges’.

Diz a lenda que cometeu incesto com a própria filha.

Urbano VI (1378-1389)

Esse era pirado e dado a surtos de fúria.

Era tão detestado que os cardeais elegeram um segundo papa em seu mandato, o que acabou criando uma guerra civil em Portugal, entre facções que apoiavam papas diferentes.

Para resolver o assunto, o maluco mandou torturar os cardeais que o rejeitaram.

Leão X (1513-1521)

Alucinado e vaidoso, esse papa mandou pintar um menino de ouro para que desfilasse em Roma no dia da inauguração de seu mandato.

O menino morreu e a festa continuou.

Acabou arruinando os cofres da igreja com sua gastança incontrolável.

Acabou revoltando um monge alemão, Martinho Lutero, que o atacou.

Leão nem se incomodou, mas a igreja católica acabou dividida até hoje.

Bonifácio VIII (1294-1303)

Megalomaníaco, com um ego maior do que luladasilva, o sujeito declarou seu poder absoluto sobre todos os governantes do planeta então conhecido.

Com seu exército, saqueou a cidade de Palestrina, na Itália, em 1298, causando 6 mil mortos.

Parecia não acreditar em Deus, chegando a afirmar diante de bispos e um rei que ‘nunca existiu Jesus e hóstia é só água e farinha. Maria não era mais virgem que minha própria mãe.’

Foi deposto na marra pelos franceses.

João XII (955-964)

Esse tocou o terror.

Foi acusado de fornicação, inclusive com sua sobrinha, estuprou peregrinas faceiramente, castrou um padre e mandou cegar outro, e fazia oferendas a deuses e ao diabo.
Convocou um sínodo para declarar a si mesmo inocente e mandou matar ou mutilar quem o desafiava.

Acabou assassinado por um marido cheio de chifres.

Sérgio III (904-911)

Esse era festeiro, e acabou inaugurando a era da ‘pornocracia’ nos papados, cercado por todos os lados de putas.

Com uma das prostitutas, o sujeito teve um filho, que curiosamente se tornou papa também - João XI.

E finalmente, hoje, temos Bergoglio.

Que ficará para a história como um papa comunista, contra os pobres, protetor de tiranos e assassinos do povo, e amigo de um corrupto condenado.

Bergoglio e Lula estão juntos.

Bergoglio afagou e abençoou o criminoso corrupto.

Bergoglio e Lula se merecem.


Por Marco Angeli Full (Jornal da Cidade)


0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor deste blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.

Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o e-mail: imprensa@fernandomelo.blog que iremos avaliar.