sexta-feira, 31 de julho de 2020

A justificativa do Banco Central para lançar a nota de R$ 200



O Banco Central anunciou, na quarta-feira (29), a criação da nota de R$ 200. A previsão é que sejam impressas 450 milhões de cédulas ainda este ano.

O motivo da nova nota, segundo o BC, não é a inflação acumulada desde o Plano Real ou o poder de compra menor da nota de R$ 100. Para o banco, a decisão é importante por causa do entesouramento — o acúmulo de dinheiro em espécie.

A diretora de administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, em coletiva, afirmou que “as pessoas tendem a acumular reservas de dinheiro em tempos de incerteza”. Por isso, durante a pandemia, houve “aumento expressivo” de impressão de moedas.

“A gente percebeu três motivos principais para o aumento do entesouramento: pessoas e empresas fizeram saques para formação de reservas; no comércio, de forma geral, houve diminuição das compras após o início das medidas de isolamento; e os beneficiários do auxílio emergencial não retornaram com o dinheiro ao sistema bancário com a velocidade que esperávamos.”

Segundo Carolina, a decisão não contraria o movimento de modernização dos meios de pagamento no país ou até mesmo o lançamento do PIX, o novo sistema de pagamentos instantâneos do BC.

O objetivo seria apenas atender a uma demanda por dinheiro em espécie, que deverá surgir ainda durante a pandemia.

“Não há relação entre a colocação da nova cédula e o sistema de metas para controle da inflação. Nossa inflação está baixa e estável. O que temos é o Banco Central agindo preventivamente porque a população pode vir a demandar mais numerário (dinheiro em espécie).”

(O Antagonista) 


0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor deste blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.

Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o e-mail: imprensa@fernandomelo.blog que iremos avaliar.