sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Tumulto na Câmara de Poção de Pedras: Valney se contrapõe à denúncia e encerra sessão

Câmara dos Vereadores de Poção de Pedras nesta manhã.
 

A novela na Câmara Legislativa de Poção de Pedras teve mais um capítulo nesta sexta-feira (14). O drama segue em torno do recebimento (AR) de uma denúncia, que segundo os vereadores da base, não foi apreciada em plenária e até então não foi seguida dos devidos mecanismos.

Acuado diante do pressionamento da maioria dos vereadores que exigiam que o assunto fosse colocado em pauta desde a sessão anterior (reveja), Valney leu um despacho em que o juiz titular da Comarca de Poção de Pedras decidia pelo arquivamento da denúncia, o que supostamente evidenciou que utilizou-se de subterfúgio para manobrar os trâmites do Regimento Interno da Câmara, saltando a questão para outras instâncias; foi aí que os embates se acirraram.

A vereadora Adailza, fazendo uso na tribuna, explicou que Valney deveria afastar-se num prazo em que os vereadores apurassem as denúncias envolvendo sua pessoa, visto que não pode presidir sessão que trata de denúncias sobre si mesmo. E que após, cumprindo-se os ritos, Valney retornaria, e do mesmo modo, seguiriam os procedimentos para também votarem sobre uma outra denúncia envolvendo o vice-presidente, vereador Mano.

O clima pegou fogo, e Valney determinou unilateralmente o encerramento da sessão, tempo em que se ocasionou um grande tumulto. Mano toma a frente numa sessão pararela e juntamente com os vereadores que permaneceram em plenário iniciou uma votação que criou uma Comissão Mista, que apreciará a denúncia e em até cinco dias manifestará seu parecer e votará pela abertura do processo de cassação do presidente.

A vereadora Ângela Galvão explica todo esse dilema que vem se arrastando na Câmara:

“O que aconteceu na sessão foi o seguinte: o presidente Valney Gomes não poderá, segundo os artigos 17 e 18 do Regimento Interno da Câmara, conduzir os trabalhos no que diz respeito à denúncia contra as supostas irregularidades cometidas com ele. E conforme vocês viram e ouviram, Valney não aceita qualquer medida, ou melhor, não aceita ato de manifestação do plenário da Câmara. De acordo com o que está acontecendo, só ele vota, só ele decide, só ele tem voz”, arrazoou a edil, que é decana no legislativo poção-pedrense.

Em resposta ao blog, Valney afirmou que haveria de abrir sim, em algum momento, o espaço para colocar a denúncia sobre sua pessoa em pauta na sessão. Mas que não pode render-se a pressões de outras pessoas, que simplesmente o querem vê-lo ser cassado. E que somente deve afastar-se de sua cadeira na presidência no exato momento em que forem votar a denúncia que pesa contra si.

Veja o resumo do que aconteceu em miudinhas...

Enquanto a vereadora Adailza usava a tribuna, o locutor Aílton Pontes vociferava que a sessão estava encerrada por determinação do Valney. A obstrução desta única pessoa vinda da plateia era notável, e Aílton não se continha. Até que chegou a vez do experiente e sapiente vereador Dr. Elias Eloi fazer uso da palavra. Naquele tom sereno de sempre, Elias se dirige pra Duta: “(...) O neto do Duta é um cara aguerrido, agora peça pra ele se candidatar e se eleger pra poder usar da palavra em plenário”. No final, Elias aplaudido e Aílton vaiado. Veja o vídeo:


O vereador Duta protagoniza mais outras cenas. Com o temperamento típico, na sessão passada quase foi às vias de fato com seu sobrinho, o vereador Mateus Croa, arrancando o microfone de suas mãos. Hoje novamente as câmeras o flagraram na tribuna tomando de forma ríspida o microfone da vereadora Edna Brito. E também teve um arranca-rabo dele com o vereador Mano. Veja os vídeos:

Com truculência, Duta puxou o Mano pela manga da camisa, forçou-lhe a sentar na cadeira, isso porque Mano pedia pra ser registrado em ata um trecho da fala de Duta que soou agressivo.

Pelo visto esse assunto ainda vai se arrastar para as próximas sessões. E como o clima anda bastante pesado na Casa, seria salutar a presença da polícia enquanto durar as sessões por via de precaução.  



0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor deste blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.

Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o e-mail: imprensa@fernandomelo.blog que iremos avaliar.