quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Prefeitos recém-eleitos iniciam governos com a “corda no pescoço”

 


O começo de governo tem sido de ‘trapalhadas’ administrativas para alguns prefeitos eleitos em 2020, e que tiveram neste começo de ano suas primeiras experiências com a realidade da tão cobiçada “galinha dos ovos de ouro”. 

Continue lendo...

Acontece que a utopia de gerir a máquina pública se torna um grande pesadelo, quando somada à prática, mostrando o quanto requer-se malabarismo e jogo de cintura para cumprir o mandato com êxito. Isto se impõe a uma multiplicidade de experiências e realidades, porque os prefeitos recém-eleitos já entraram à gestão fadados ao fracasso, com a corda no pescoço e pés na cova, seja pelo endividamento de suas onerosas campanhas políticas, ou na grande maioria, pela malversação ou má administração de prefeitos anteriores.

Outra característica intrínseca e comum destes pequenos municípios, mas que atrapalha muito, é o personalismo, tendendo a práticas oligárquicas e ainda com resquícios do coronelismo. É uma realidade assustadora e que deve ser muito bem observada, pois significa um “arraigamento” em uma cultura de dependência do poder público de forma distorcida, com agravamento da miséria, dos favorecimentos pessoais, culminando na desconfiança na gestão pública (bdu.org.br).

Em nossa região, há prefeitos novatos que estão asfixiados, porque assumiram com a bomba prestes a explodir: salários de novembro e dezembro atrasados, professores sem o 1/3 de férias, abono etc. Imagina o quanto será difícil fazer uma boa gestão, apanhando a mesma sina desastrosa dos antecessores – gerir pequenos munícipios que sobrevivem basicamente de FPM até para complementar o Fundeb.

É aguardar pra conferir, pois se não souberem se sobressair, cairão da corda bamba!

E aí, como você avalia o começo de gestão do prefeito de seu município?

_________

Pra descontrair um pouco...




7 comentários:

  1. O poste de Poção começou com o pé esquerdo. Salário atrasado e sem previsão de pagamento, tudo fruto da falta de gestão do antecessor, que até está dentro da prefeitura para acompanhar a folha de pagamento.

    ResponderExcluir
  2. Poção de Pedras certamente não se inclui nos "tais" Municípios, afinal, "o progresso continua".

    Ainda bem Poção teve "administração anterior exemplar, com todos os salários e contas em dias". O Município só tem a ganhar.

    ResponderExcluir
  3. Queridos conterrâneos poçopedrenses nal sei o que deu errado com o dinheiro dos proventos sei q e critica a situação eu votei no 12 com propósito de melhorar prefeito novo ideias nova mas....

    ResponderExcluir
  4. Raimundo Zuca em joselãndia pegou uma bomba atômica

    ResponderExcluir
  5. Caso de Lagoa Grande, pegou uma cidade e uma prefeitura falida,vai ter muita dor de cabeça

    ResponderExcluir
  6. Isso é Brasil
    Pior q quem sofre com tudo isso s oa mais necessitados. Falta saúde falta escola e muito mais.

    ResponderExcluir

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor deste blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.

Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o e-mail: imprensa@fernandomelo.blog que iremos avaliar.