segunda-feira, 8 de março de 2021

Governadores assumem coordenação do combate ao coronavírus e podem decretar lockdown nacional dia 14

 

Em razão da Covid-19, governadores foram a Brasília na terça-feira para visitar o laboratório da União Química e se reunir com o presidente da Câmara, Arthur Lira. (Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo)

BRASÍLIA - Governadores de estados brasileiros irão assumir a coordenação nacional do combate ao coronavírus e devem decretar lockdown nacional, ou ao menos medidas restritivas fortes, a partir do dia 14 de março. O anúncio foi feito pelo governador do Piauí, Wellington Dias, representante do Fórum Nacional dos Governadores, neste domingo (7/3).

A informação é do O Globo.

A decisão é uma resposta à recusa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de permitir que o governo federal cumpra com esse papel, que é originalmente dele, especialmente do Ministério da Saúde. 

Ainda segundo O Globo, 21 estados estão de acordo com as medidas. São eles: Amazonas, Pará, Piauí, Paraíba, Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, São Paulo, Distrito Federal, Alagoas, Minas Gerais, Ceará, Sergipe, Goiás, Maranhão, Paraná, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Até o momento, apenas cinco estados não manifestaram uma posição favorável ao pacto: Mato Grosso do Sul, Tocantins, Rondônia, Acre e Roraima. Mas, também de acordo com a assessoria, a consulta aos governadores continua em andamento, segundo O Globo.

O objetivo é conter o avanço do novo coronavírus, que já matou mais de 260 mil pessoas no país.

A consulta ainda está aberta para os que ainda não aderiram.



0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor deste blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.

Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o e-mail: imprensa@fernandomelo.blog que iremos avaliar.