sexta-feira, 30 de abril de 2021

Retrocesso: prefeito de Poção de Pedras envia projeto à Câmara para extinguir direitos dos professores

 

Prefeito de Poção de Pedras, Francisco Pinheiro, um desastre anunciado. 

Mais uma vez, mostrando suas verdadeiras faces opressoras após o pleito, o prefeito “de ordens” de Poção de Pedras, Francisco Pinheiro, a mando do ex (e ainda prefeito de fato) Júnior Cascaria, enviou à Câmara Legislativa no dia 16 de abril o Projeto de Lei n° 003/2021, que visa revogar o artigo 38 da Lei Municipal n° 016 de dezembro de 2009 e também a Lei Municipal n° 04/2010. Noutras palavras, o prefeito pretende acabar com a redução de carga horária e gratificações conquistadas à classe dos professores.

Era de se esperar, pois trata-se da extensão de poder de um mandatário que sempre atuou para prejudicar a categoria; destratou e demonstrou mais de uma vez publicamente que não gosta de professores; e muito menos dos salários que estes recebem, por achar desproporcional, ou seja, muito.

A Lei n° 016/2009 em comento, define os requisitos para concessão da redução de carga horária e institui o Plano de Cargos, Carreiras, Vencimentos e Salários dos Profissionais da Educação Básica.

— De acordo com a respectiva lei, enviada pelo então prefeito Gildásio Ângelo e aprovada pela Câmara Legislativa, ‘o professor efetivo, em plena regência de classe, com idade a partir de 50 anos, com pelo menos 20 anos do exercício de magistério, pode solicitar redução de carga horária junto à Secretaria Municipal de Educação e ter sua jornada reduzida em 50% o número de horas a ele atribuído, sem prejuízo de sua remuneração’. Além do mais, a lei municipal propicia gratificação por tempo de serviço.

O gestor pretende extinguir todos estes benefícios, sob a justificativa de que sejam inconstitucionais. Veja: “Apresento a esta Augusta Casa Legislativa, para a apreciação de Vossas Excelências, o Projeto de Lei Municipal n° 003, de 04 de março de 2021, que revoga o artigo 38 da Lei Municipal n° 016/2009, bem como revoga por inteiro a Lei Municipal n° 04/2010. Referidas revogações observam o fato de que os dispositivos legais citados são inconstitucionais. Isso porque a diminuição da jornada de trabalho dos professores fere o princípio constitucional do concurso público, sobretudo porque a substituição da carga horaria remanescente é inviável, uma vez que a redução da jornada significa o surgimento de vaga para contratação pelo poder público, mas ainda assim, fazendo com que o município necessite deslocar outro servidor para completar a hora remanescente [...]”.

Os professores de Poção de Pedras receberam com muita contrariedade a informação de que o projeto foi encaminhado à Câmara, e convocam os colegas para unirem-se e comparecerem na sessão da próxima sexta-feira (07/05). O Sinproesemma e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica se manifestaram totalmente avesso ao projeto, o qual classificam como ‘absurdo’.

Segundo nosso time de comentaristas políticos, a Câmara deverá recuar e engavetá-lo, tendo em vista que há parlamentares que são professores, ou possuem cônjuges professores e, portanto, ao votarem a favor de tamanho retrocesso, estarão votando contra eles próprios.

Tempos sombrios

A Educação em Poção de Pedras vivencia tempos de incertezas, pois ignorando a competência de excelentes mestres em nossa cidade, o 'prefeito de fato' trouxe de fora — com todas as regalias asseguradas - um secretário de Educação que desconhece a realidade do Município, que segundo relatos de vários trabalhadores do magistério, se contradiz ao tentar instalar uma metodologia de gestão usada numa cidade vizinha. “O que se vê é a ordem de extermínio da educação democrática e participativa, uma vez que não ouvem ninguém; ora impõem regras, ora voltam atrás; determinam fechamento de escolas e estão perseguindo com mãos de ferro quem não lê suas cartilhas”, confidenciou à nossa redação uma fonte.  



26 comentários:

  1. Ra ai professores vão correrem atrás do calcária.. tai o troco de vcs.e todos vcs sabem que esse calcária foi sempre contra a classe.chamou os ate de analfabetos..mais uma dos prefeitos cascatas pra vcs..

    ResponderExcluir
  2. Professores se exemplos dessa vez foi pra lascar vcs dexem esse ditadores de mão.. cader os líderes do simproesema..não fazem nada pq bajular eles. Mesmo de bais de taça.. o lapada..

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Fernando Melo pela matéria, é um absurdo

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Fernando Melo pela matéria, é um absurdo o q esse gestor deseja fazer com a classe dos professores

    ResponderExcluir
  5. Procurando cascaria com os educadores, vai dar merda!!

    ResponderExcluir
  6. Sou totalmente contra a tirada dos DIREITOS de qualquer Profissão, mas, infelizmente a classe dos professores só estão se mexendo agora pq estão ou vão (não sei) sentindo no BOLSO!

    NÃO VI ESSA PREOCUPAÇÃO TODA PRA VOLTAR ÀS SALAS DE AULA!

    NUNCA FIZERAM UMA REUNIÃO COM OS PAIS DE ALUNOS PRA SABER A MANEIRA MENOS PIOR PRA TER AULA!

    NÃO ESTÃO NEM AI...

    NEM TODOS!

    ResponderExcluir
  7. Temos vários veriadores que são professores e a vice prefeita que também é professora , vejo uma derrota para o prefeito .
    Mais uma...

    ResponderExcluir
  8. Nós somos responsáveis por nossas escolhas , pêlos benefícios e consequências que ela nós trás ...

    ResponderExcluir
  9. Tá é certo!


    Os professores não querem trabalhar
    ������

    ResponderExcluir
  10. Coitado desse rapaz,vamo ver até quando vai atender ordens do além
    Acredito q não vai ser por muito tempo pois até onde conheço ,é um menino do bem

    ResponderExcluir
  11. Político,com raríssimas exceçao, é tudo igual,só muda o estado onde residem.

    ResponderExcluir
  12. esse prefeito são assim mesmo guando ganha fica procurando coisa pra prejudicá os trabalhadores enves de ajudar fica trapalhando a vida das pessoas

    ResponderExcluir
  13. Outros funcionários tem esse direito? De reduzir a carga horária em 50% sem prejuízo de salário após os 50 anos de idade ou so os professores?

    ResponderExcluir
  14. Engraçado é que teve professor que vendeu o voto em troca da redução da carga horária e mais benefícios, e agora ele vai acabar com todos os benefícios. Kkkkk. Acho é pouco.

    ResponderExcluir
  15. A maioria esmagadora dos PROFESSORES foram chamados de Burros, essa mesma Maioria preferiu votar na gestão que sempre os massacrou, então, dependendo do que você plantar fique sabendo que um dia irá colher, não se colhe MANGA tendo plantado PEPINO

    ResponderExcluir
  16. Pessoal,deixem de hipocrisia!!Sou contra tal projeto,mas também sou contra algumas maracutaias que há por aqui.Muitos irão aposentar-se sem dá um dia de aulas.Sabes de quem estou falando?De quem hoje é contra o projeto,Conheço professores que dão aulas aqui,em Lago da pedra,em Igarapé Grande,em São Roberto e até me Bacabal em 2 horários.Isso é legal Ou ilegal?O que dizer de um professor que está morando em Barreirinhas e recebendo aqui?O que dizer de um professor que prestou concursos e foi passado em Penalva , Pindaré e prendia ficar recebendo aqui?Pode?Antes de criticar os gestores,façam uma análise das ilegalidades cometidas pelos "mestres" que vcs tanto defendem.

    ResponderExcluir
  17. Cadê os professores q lá votaram e dizia que o progresso iria continuar . Tá aí o progresso que tantos queriam

    ResponderExcluir
  18. Só não vou dizer que adorei, porque tem muitos que não merecem passa por isso .

    ResponderExcluir
  19. Agora que tá começando a mostra as faces ❌ nunca votaria nisso

    ResponderExcluir
  20. Só não vou dizer que achei pq pq tem minha prima aí que é professora não merece nada disso

    ResponderExcluir
  21. Isso daí tudo er cabeça do morto de fome calcária e quer tirar o cu do ponto.cm mentiras como ele er.. mentiroso. Enganador enrolao.vai ser deputado na China. Os dois ai são farinha do mesmo saco só enrolação deles

    ResponderExcluir
  22. Parabéns Fernando Melo,vc passou 8 anos no governo cascaria e nunca falou nada, só por quê está fora ou seja não tem mais o cala boca o didim tá com Dor de cotovelo

    ResponderExcluir
  23. Pessoal, tem que vê onde a Elisa do Bento ta lotada, lembro do dia que ela chegou zangada no colégio falando que o juiz tinha negado o pedido dela de redução de carga horária, pq ela era diretora e não tinha os 25 anos de sala de aula. Meu parente que é advogado, conseguil uma cópia do processo, se derem redução pra ela tão cometendo crime, olho nisso aí.

    ResponderExcluir
  24. Ta falando a verdade. Parabéns Fernando melo

    ResponderExcluir
  25. Antes não tinha ninguém que postava os desmando desse gdesgoverno.. agora tem.parabens

    ResponderExcluir

Fique à vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do editor deste blog. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após análise.

Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o e-mail: imprensa@fernandomelo.blog que iremos avaliar.